Você está lendo:

O ACERVO DE Harry Styles

Pessoalmente organizado por Harry, este documento oferece uma descoberta preciosa dentro de seu mundo íntimo, revelando as obsessões, inspirações e relações que mais importam para ele…

Recomendações de leitura com Charles Bukowski, Hermann Hesse e poesia persa do século XIII. O tatuador cult Liam Sparkes compartilha sua linha de pensamentos sobre tatuagem. Presta homenagem em um mini santuário à mais turbulenta sacerdotisa do rock, Stevie Nicks. Na véspera de sua lua de mel, o pintor Tommo Campbell abre seu estúdio caótico. Cadernos surrados, marcas de batom, e uma velha camisa do Pink Floyd. Edward Sexton, o imperante rei da costura sob medida, tira as medidas de seu novo cliente. Pressione o play na compilação de cassetes contendo Elvis Presley, Paul McCartney e Crosby, Stills & Nash.

1de2

 

ACERVO 1: COLEÇÃO

De volta à sua casa em Londres, Harry ataca seu guarda-roupa e separa caixas para alguns tesouros escondidos. De botas desgastadas e livros cheios de orelhas à um casaco com mancha de batom vermelho, estes objetos estão cheios de memórias…2

 

“Eu comprei estas (botas) em uma loja vintage enquanto estávamos fazendo tour em algum lugar na América. Eu me lembro do quanto as amava a medida que ficavam piores e mais surradas. Agora elas têm muitos furos mas eu não consigo jogá-las fora.” – Harry
3

4

5

 

“Eu estava saindo do café da manhã em Londres usando este casaco. Acho que a menina estava me mordendo. Ela era amável.” – Harry

358870

 

“Encontrei esta camisa em uma caixa no fundo de uma loja. Ela está muito apertada, mas ainda a amo. Cresci os ouvindo com meu pai, ele sempre colocava suas músicas no carro. Amo apagar as luzes, sentar numa cadeira e ouvir “Dark Side Of The Moon” do começo ao fim. Na última tour houve umas boas seis semanas nas quais eu só ouvia esse álbum.” – Harry
7

 

“Eu apenas amo as imperfeições do vinil. Os arranhões e crepitações – você não acha mais isso em nenhuma outra coisa. Tem algo de aconchegante nisso. Acho que minha capa de álbum preferida é a Live Peace In Toronto 1969, do grupo Plastic Ono Band. É tão simples. É perfeita.” – Harry

8

 

“Um amigo me deu o livro “Sidarta”, de Hermann Hesse, quando começamos a viajar juntos. Faz muito sentido para mim. Acho que é um livro muito importante. No “O Amor é um Cão dos Diabos” eu apenas amo o jeito como Charles Bukowski usa a linguagem. É tão real, corajoso e obsceno, porém com algo tão romântico em tudo aquilo.” – Harry9

 

ACERVO 1: BIBLIOTECA

Harry folheia as páginas de seus livros prediletos – o de Charles Bukowski, O AMOR É UM CÃO DOS DIABOS, de Hermann Hesse, Sidarta, e a coleção de poemas do século XIII do poeta persa Rumi – e escolhe exatamente estes trechos…

O AMOR É UM CÃO DOS DIABOS

um poema quase feito

Eu te vejo bebendo em uma fonte com minúsculas
mãos azuis, não, suas mãos não são minúsculas,
elas são pequenas, e a fonte fica na França
onde você me escreveu aquela última carta e
eu respondi e nunca mais ouvi falar de você.
Você costumava escrever poemas insanos sobre
ANJOS E DEUS, todos em maiúscula, e você
conhecia artistas famosos e muitos deles
eram seus amantes, e eu escrevi de volta, tudo certo,
vá em frente, entre em suas vidas, não tenho ciúme
porque nunca nos encontramos. Nós chegamos perto uma vez em
Nova Orleans, uma meia quadra, mas nunca nos encontramos, nunca
nos tocamos. Então você se foi com famosos e escreveu
sobre os famosos, e, claro, o que você descobriu
é que os famosos estão preocupados com
sua fama — não com a bela garota jovem na cama
com eles, que dá pra eles aquilo, e depois acorda
de manhã para escrever poemas em letra maiúscula sobre
ANJOS E DEUS. Sabemos que Deus está morto, eles nos disseram,
mas ao ouvir você eu não estava certo. Talvez fossem as
maiúsculas. Você foi uma das melhores poetisas e eu disse aos editores,
“ela, edite-a, ela é louca mas é mágica.
Não há mentira em seu fogo.” Eu te amei
como um homem ama uma mulher que nunca toca, apenas
escreve para ela, mantém pequenas fotos dela. Eu teria
te amado mais se eu tivesse sentado em um pequeno quarto enrolando
um cigarro e ouvido você mijar no banheiro,
mas não aconteceu. Suas cartas ficaram mais tristes.
Seus amores te traíram. Criança, eu respondi, todos
os amores traem. Não ajudou. Você disse
que tinha um banco para chorar e ficava perto de uma ponte e
a ponte era sobre um rio e você sentou no banco
toda noite e lamentou pelos amores que te
machucaram e esqueceram. Eu te respondi mas nunca recebi
resposta. Um amigo me escreveu sobre seu suicídio
3 ou 4 meses depois de acontecido. Se eu tivesse te encontrado,
eu provavelmente teria sido injusto com você ou você
comigo. Foi melhor assim.
(Fonte)

RUMI

Mathnavi, IV. 733

Música abre nossos corações e certamente devaneia

Com ecos que se derramam de esferas celestiais;

E fé muito além do imaculado molde do pensamento

Transforma a desagradável dissonância em mel trazido pelos anjos.

As crianças de Adão adaptadas e tão grosseiramente atadas

Ouvem com ele as canções dos anjos e suspiram sorridentes.

Nós lembramos delas, mesmo que indistintamente, enquanto contávamos histórias

Batidas de coração das doces almas originais aprendendo.

Ah, música alimenta as clamantes almas dos amantes,

Música eleva os espíritos de seus abrigos mundanos.

As cinzas crescem vigorosas e trocam de pele

Ouçam com a quietude que apenas as almas são capazes de compartilhar.

(Tradução: Equipe NiallHBra)

SIDARTA

Despertar

Enquanto Sidarta saía do bosque, onde permanecia o Buda, o Perfeito, onde também permanecia Govinda, sentia que deixara atrás, nesse recinto, toda a sua vida anterior, a qual daí por diante se separaria dele. Essa sensação que tomava conta do seu espírito preocupou-o durante a vagarosa caminhada. Sidarta refletia profundamente. Mergulhava até o fundo dessa emoção, assim como se mergulha na água, para alcançar-se o ponto onde repousam as causas. Pois lhe parecia que o verdadeiro pensar consistia no reconhecimento das causas e que, desse modo, o sentir se convertia em saber, o qual, ao invés de dissipar-se, criaria forma concreta e irradiaria o seu teor.
Enquanto lentamente avançava pelo caminho, Sidarta refletia. Verificou que já não era adolescente, senão homem maduro. Constatou que uma coisa se distanciara dele, assim como a pele gasta se despega da serpente e que ele cessara de sentir aquele desejo que o acompanhara através de toda a sua juventude, fazendo parte da sua personalidade; desejo de ter mestres e de receber ensinamentos. Sidarta acabava de abandonar o último mestre que surgira no curso da sua jornada; abandonara também a ele, o mestre supremo, o mais sábio de todos, o Santíssimo, o Buda. Fizera-se necessário distanciar-se dele. Já não fora possível aceitar os preceitos de Gotama.
Caminhando cada vez mais devagar, absorvido pelos pensamentos, Sidarta perguntou-se a si mesmo: “Mas que desejaste aprender dos teus mestres e extrair dos seus preceitos? Que será aquilo que eles, que tanto te ensinaram, não conseguiram propiciar-te?” E ele encontrou a resposta: “Era meu desejo conhecer o sentido e a essência do eu, para desprender-me dele e para superá-lo: Porém não pude superá-lo. Apenas logrei iludi-lo. Consegui, sim, fugir dele e furtar-me às suas vistas. Realmente, nada neste mundo preocupou-me tanto quanto esse eu, esse mistério de estar vivo, de ser um indivíduo, de achar-me separado e isolado de todos os demais, de ser Sidarta! E de coisa alguma sei menos do que sei quanto a mim, Sidarta!”
Como que agarrado a esse raciocínio, o moço interrompeu a lenta caminhada e de um pensamento nasceu outro, diferente: “O fato de eu não saber nada a meu próprio respeito, o fato de Sidarta ter permanecido para mim um ser estranho, desconhecido, tem sua explicação numa única causa: tive medo de mim; fugi de mim mesmo! Procurei o Átman, procurei o Brama, sempre disposto a fraturar e apelar o meu ‘eu’, a fim de encontrar no seu âmago ignoto, o núcleo de todas as cascas, o Átman, a vida, o elemento divino, o Último. Mas, enquanto fazia isso, perdi-me a mim mesmo.”
Abrindo os olhos, Sidarta olhou ao seu redor, com o rosto iluminado por um sorriso. Perpassava-lhe pelo corpo, até aos dedos dos pés, a profunda sensação de ter acordado de um sonho prolongado. Em seguida, reiniciando a sua marcha, estugou o passo, como quem sabe o que lhe convém realizar.
“Ah, não!” – pensou, aliviado, respirando a plenos pulmões – “daqui em diante não admitirei nunca mais que Sidarta me escape! Nunca mais o meu pensar e a minha vida terão por ponto de partida o Átman e o sofrimento do mundo! Cessarei de matar-me e de fraturar-me, com o intuito de achar um mistério atrás dos destroços. Não me deixarei orientar nem pelo Yoga-Veda, nem pelo Atarva-Veda, nem por ascetas, nem por doutrina alguma. Aprenderei por mim mesmo; serei meu próprio aluno; procurarei conhecer-me a mim e desvendar aquele segredo que é Sidarta!”
Olhou o mundo a seu redor, como se o enxergasse pela primeira vez. Belo, era o mundo! Era variado, era surpreendente e enigmático! Lá, o azul; acolá, o amarelo! O céu a flutuar e o rio a correr, o mato a eriçar-se e a serra também! Tudo lindo, tudo misterioso e mágico! E no centro de tudo isso achava-se ele, Sidarta, a caminho de si próprio. Todas essas coisas, esses azuis, amarelos, rios, matos, penetravam nele pela primeira vez, através dos seus olhos. Já não eram feitiço de “Mara”. Deixavam de ser o véu de “Maia”. Não havia mais aquela multiplicidade absurda, casual, do mundo dos fenômenos, desprezados pelos profundos pensadores brâmanes, que rejeitam a multiplicidade, e esforçam-se por achar a unidade. O azul era azul, o rio era rio e, posto que, nesse azul e nesse rio abrangidos por Sidarta, existisse, escondida, a idéia da unidade, o Divino, era, contudo, peculiar do Divino ser amarelo aí e azul lá, céu ali e mato acolá, e também ser Sidarta, aqui, neste lugar. O sentido e a essência não se encontravam em algum lugar atrás das coisas, senão em seu interior, no íntimo de todas elas.
“Andei deveras surdo e insensível!” – disse de si para si, enquanto avançava rapidamente pela estrada. – “Quem se puser a decifrar um manuscrito, cujo significado lhe interessar, tampouco menosprezará os sinais e as letras, qualificando-os de ilusão, de casualidade, de invólucro vil, senão os lerá, estudá-los-á, amá-los-á, letra por letra. Eu porém, que almejava ler o livro do mundo e o livro da minha própria essência, desprezei os sinais e as letras, em prol de um significado que lhes atribuía de antemão.
Chamei de ilusão o mundo dos fenômenos. Considerei meus olhos e minha língua apenas aparentes, casuais, desprovidos de valor. Ora, isso passou. Despertei. Despertei de fato. Nasci somente hoje.
(Fonte)

“Um amigo meu me comprou o primeiro diário cerca de cinco anos atrás. São todos coleções de letras de música, anotações e poemas. Amo viajar com eles agora, acabando um e comprando outro novo. Eu levo eles todos comigo para o estúdio e leio tudo de uma vez só.” – Harry

10
 
11
 
 ACERVO 2: ADORNOS

Conheça o tatuador que lentamente está transformando Harry em uma obra de arte viva.

Quando Liam Sparks e Harry se conheceram em uma partida de futebol em Hackney Wick, Styles já era um fã; ele já tinha visto seu trabalho em um amigo de ambos. “Eu nunca me limitei a tatuar pessoas famosas, mas todos merecemos uma tatuagem.” diz Liam, ” Uma coisa que me fascina sobre as celebridades é o isolamento, e a forma como alguém se torna um semi-deus aos olhos das pessoas, mesmo que ainda seja uma pessoa normal. Então é desta forma que eu trato ele: ele é apenas outro cliente, sério – eu não venero semi-deuses – e ele é muito aberto para as coisas.” Styles retorna sempre de meses em meses para mais e a evolução de seu gosto está ficando clara, mudando de um trabalho aleatório pré-Sparks para uma linda e organizada coleção de arte da tatuagem.

 
“Nós começamos com uma borboleta em seu torso baseada em uma velha tattoo de uma prisão francesa, inspirada por Papillon. Tradicionalmente, significava que a pessoa com essa tatuagem era um ladrão – algo relacionado ao significado duplo de “Je Vole”, que pode ser traduzida como “eu roubo” e “eu voo” – e é comumente tatuada no pescoço. Então fizemos mais algumas tattoos inspiradas na criminalidade francesa, como as mãos se cumprimentando e as folhas de louro em cada lado de seu abdome, que geralmente é feita no peito e indica que seu dono é um cafetão. Também fizemos um coração, algumas unhas, uma sereia e uma garrafa. Todas clássicas. Muitas pessoas olham para Harry, então ele tem que ter o cuidado de não ficar tão bruto e eu entendo isso, mas ele ainda fará muitas mais. Fazer tatuagem é como uma droga, uma vez que você começou, está nisso pro resto da vida.”, finalizou Liam.
12

ACERVO 3: ESTUDIO

Com colecionadores devotados como Harry, o pintor Tommo Campbel está mais frenético que nunca… Não que ele esteja reclamando.“Se você consegue fazer as pessoas diminuírem o ritmo e fazer elas pensarem, por mais chato e sem inspiração que soe, isso que é uma boa pintura para mim” diz Tommo.

Com seis telas de Campbell em sua incrível crescente coleção, Harry Styles claramente concorda. Escolhidas em diferentes exposições e visitando a casa do artista pessoalmente, elas representam uma preferência por um trabalho cru e frenético nos mesmos moldes de Cy Twombly e Oscar Murillo, como também uma amizade que cresceu desde que foram apresentados pela cunhada de Campbell.
“Ela era cabeleireira da One Direction e na época me contou sobre quais artistas Harry devia estar colecionando”, ele diz. “Dois anos e meio depois, ele é quem está me mostrando coisas que eu nunca tinha visto antes, então ele é realmente ligado nas coisas, e quando Harry vai ver algum trabalho, sempre pergunta a minha opinião em vez de apenas me dizer o que ele quer. Existe mais um diálogo entre nós sobre pintores e pinturas do que com outros colecionadores que tendem estar focados no dinheiro e peças específicas.”
 E como Campbell tem um genuíno interesse em ver seu trabalho pendurado nas casas das pessoas, vender para amigos como Styles faz isso ser mais do que uma possibilidade – o problema do trabalho ir para grandes coleções de arte, ele diz, é que ele pode ficar apenas no porão esperando por algum vaga no espaço da parede.

 

ACERVO 4: GUARDA-ROUPA

Sexton, um septuagenário devasso de cabelos grisalhos vestido num terno mohair azul, havia marcado de fazer um ajuste de roupas para Harry Styles hoje, mas o superstar está em Paris neste momento. Em sua ausência, Sexton exibe outra jaqueta de Styles confiada a ele pelo diretor de criação da Another Man, Alister Mackie. “Alister escolheu o tecido, que era um Biba vintage e foi um desafio e tanto. É uma seda lamé, incrivelmente delicada e resistente devido às linhas de seda. Este não é um tecido comum, eu posso te dizer”.

Ele não está brincando. Com largas listras art déco — “um pesadelo para alinhar” — e um brilho rock star, o look é inconfundivelmente de Sexton: um linho justo e vaidoso que tem agraciado os ricos e famosos há mais de 40 anos. “Ela tem a minha lapela que é marca registrada, mas nós a fizemos um pouco mais anos 1930. Nosso estilo original é baseado em uma velha hacking jacket*, com ombros incrivelmente justos e lapelas exageradas, mas nós a tornamos interessante com a escolha do tecido. A visão de Alister era uma homenagem a Bowie e ele sabia exatamente o que ele queria; ele tem essa linha rock n’roll atravessando-o”.

[…]
“O jovem Harry está aberto a sugestões. Ele tem um quê de Mick Jagger nele, e ele viu os Stones vestindo nossas coisas nos anos 60. Ele gosta do estilo super-justo e ele tem o corpo ideal para isso. Ele é jovem e magro, o que torna as coisas mais fáceis. Outros clientes querem ter esse visual, mas eu não posso realizar milagres. A ilusão é que é minha praia”.
aaaaaaaaaaaaaaa
N.T.: *hatching jacket: jaqueta de hipismo ajustada na cintura, com fendas na lateral ou na parte de trás, com bolsos com abas.
ACERVO 5: ÍDOLO
Perguntamos “Quem é seu ídolo?”, Harry – Uma vida inteira devotada ao Fletwood Mac – Não perco uma batida sequer…

17

“Eu apenas acho a Stevie Nicks realmente muito legal. Nós nos conhecemos e eu estava certo. Ela é legal pra caralho.”
ACERVO 6: PLAYLIST

18

19

 Ouça a playlist do Harry feita para a Another Magazine, aqui.

Autor: Thuty
Publicado em 3 de outubro de 2016
Você está lendo:

Fizemos a tradução na íntegra da entrevista de várias páginas que Harry deu para a revista Another Man e colocaremos todas em diferentes posts que serão linkados na sequência ao final de cada reportagem. Depois de passar por Chelsea Handler e Paul McCartney, agora é Gemma Styles escritora e irmã de Harry que confidencia um pouco mais desse Harry que poucos conhecem e todos amam.

Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 3 de outubro de 2016
Você está lendo:

Fizemos a tradução na íntegra da entrevista de várias páginas que Harry deu para a revista Another Man e colocaremos todas em diferentes posts que serão linkados na sequência ao final de cada reportagem.Após Chelsea Handler, Harry foi entrevistado juntamente com a lenda da música Paul McCartney, através de uma ligação feita pela revista Another Man. Aproveitem mais essas poucas linhas cheias de Harry Styles!

Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 3 de outubro de 2016
Você está lendo:

Fizemos a tradução na íntegra da entrevista de várias páginas que Harry deu para a revista Another Man e colocaremos todas em diferentes posts que serão linkados na sequência ao final de cada reportagem. A primeira delas aconteceu por telefone com a apresentadora e também amiga próxima de Harry, Chelsea Handler, em Los Angeles. Aproveitem essas poucas linhas cheias de Harry Styles!

Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 3 de outubro de 2016
Você está lendo:

O novo álbum de Harry Styles está em produção há um longo tempo, e Styles tem estado estranhamente quieto sobre todo o projeto. Ele não está alimentando o falatório de maneira alguma. O que ele está aprontando naquele estúdio? Harry está criando um novo estilo de música que vai abalar o mundo. O álbum provavelmente não será lançado até 2017, porque produzir música de tal qualidade leva tempo.

Harry Styles, desde o início, escolheu rodear seu trabalho solo com representação de qualidade. Sua primeira atitude foi dispensar a Modest Management em favor de Jeffrey Azoff, que deu a Styles liberdade artística total, em comparação com a Modest, que censurava e controlava a One Direction de um jeito bem irritante, de acordo com a entrevista de Zayn Malik para a _Fader_. Styles então contratou Dawbell para a publicidade. Essa é a empresa que administra Paul McCartney, então sim, esses caras são os melhores.

O novo álbum de Harry Styles será produzido pela Columbia Records, um dos mais antigos e mais respeitados nomes na indústria musical. Eles fizeram o acordo de pagar 80 milhões de dólares a Styles por três álbuns solo, mas não há um período de tempo específico para a sua produção.

Liam Payne e Niall Horan também assinaram recentemente grandes contratos para gravações e estão animados, o que é bem compreensível. Zayn Malik agora está trabalhando em seu segundo álbum, mas Styles tinha se mantido quieto e fora das vistas do público desde que assinou seu contrato de 80 milhões de dólares para produzir seus álbuns. A não ser por alguns encontros realmente intensos com Kendall Jenner, Styles praticamente não foi visto desde que voltou depois de ter filmado o filme Dunkirk.

O novo álbum de Harry Styles vai ser de tremer o chão. Harry é um perfeccionista, como todos sabemos. Ele nunca aceitaria menos que uma inovação completa. Ele está polindo suas habilidades como músico para ser capaz de produzir algo além das expectativas. A julgar por sua gama bem variada de colaboradores, esse álbum pode muito bem vir a definir como a música deveria soar nesse novo século.

Harry Styles está extremamente ocupado gravando músicas com um monte de colaboradores bem interessantes. Ele esteve no estúdio com uma gama bem variada de artistas este ano, de Meghan Trainor a Red Hot Chilli Peppers.

*Colaboradores e Mentores do Novo Álbum de Harry Styles*

Ringo Star passou um bom tempo falando com Harry.
Sir Paul McCartney pode ter falado com Styles também.
Elton John ofereceu tanta ajuda quanto Harry quisesse.
Johnny McDaid do Snow Patrol vem trabalhando com Styles em material solo há anos.
Red Hot Chilli Peppers deu a Harry pelo menos uma música e se ofereceu para colaborar na questão do estilo.
Meghan Trainor gravou um dueto romântico com Harry.
Kodaline, uma banda irlandesa, escreveu uma música chamada “Make It Feel Right” (“Faça parecer certo/bem”) com Styles.
Ryan Tedder do One Republic escreveu uma ou duas músicas com Harry.
John McDaid do Snow Patrol vem colaborando com Styles há anos, mesmo antes da pausa da One Direction. McDaid tem assistido Styles crescendo como músico, talvez mais do que qualquer outra pessoa.

Harry Styles e Johnny McDaid criaram nada menos que oito faixas já concluídas para possível inclusão no novo álbum, quatro das quais também incluem Gary Go como co-autor. Johnny não pôde evitar fazer um rápido comentário sobre a qualidade da música. Ele é citado no Digital Spy:

“Eu estou realmente empolgado com a forma como ele está soando no momento, ele é um grande talento. Eu acho que o mundo vai ficar realmente chocado com o que ele apresentar.”
O novo álbum de Harry Styles vai chocar o mundo. É isso o que os fãs precisam ouvir. Esse álbum vai ser melhor do que aquilo com que os fãs de músicas já se acostumaram até demais. Não é algum tipo de fórmula pré-fabricada para a escrita de canções. Não vai ser algo que cinco jovens garotos tiveram que se apressar para escrever e gravar em três meses. Harry está se distanciando tanto quanto possível desse tipo de composição, para dar aos fãs a música que eles merecem.
Ryan Tedder, vocalista da One Republic, também tem escrito música com Harry Styles, de acordo com o Digital Spy.
“Nós fizemos algumas coisas, eu não tenho ideia de para que elas são. Eu não sei se ele está fazendo um álbum, eu realmente não sei. Vocês sabem, ele é um escritor incrivelmente talentoso. Vocês sabem que dizem que você não pode julgar um livro pela capa, mas claramente, o cara tem bom gosto em várias áreas, e isso também acontece em relação à composição. Ele é um cara bem tranquilo. Eu não acho que tenha conhecido ninguém com esse nível de fama que tenha sido tão pouco afetado por ela.”

O novo álbum de Harry Styles também vai incluir pelo menos uma música escrita pelo Red Hot Chili Peppers. Anthony Kiedis também concordou em colaborar com ou treinar Harry um pouco com seu estilo.

Então o novo álbum de Harry Styles é sobre criar algo revolucionário com influências que vão desde 1960 e The Beatles até contemporâneos do pop atual, como Meghan Trainor. Ele tem algumas influências bem hard rock, como Red Hot Chili Peppers, e também um pouco de folk irlandês. Ele provavelmente vai levar a música para um estilo de rock, a julgar por seus colaboradores, mas o rock não vai ser necessariamente clássico ou old school. É provável que seja algum tipo de adaptação única para o Harry, que talvez se torne o próximo clássico.

O novo álbum de Harry Styles promete ser original e único. Styles está indo no seu ritmo. Ele está reinventando a si mesmo e à sua música quase completamente. Harry quer que isto seja revolucionário.

O novo álbum de Harry Styles vai abalar o mundo.

Fonte: Inquisitr
Tradução e adaptação: Equipe Niall Horan Brasil

Autor: Thuty
Publicado em 27 de setembro de 2016
Você está lendo:

Foi confirmado que a One Direction agora poussui seis recordes no Guinness World Records (livro dos recordes mundiais), sendo um destes o de maior número de seguidores no Twitter de um grupo musical com uma quantidade básica de apenas 24.9 milhões de seguidores – e contando! Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 8 de setembro de 2016
Você está lendo:

Todo mundo sabe quem é a One Direction! Até a sua avó. Será mesmo?

Maximum Pop! decidiu testar o conhecimento da senhora Joan e ver o quanto ela sabe sobre a maior boyband do momento. Continue lendo »

Autor: Camila
Publicado em 7 de setembro de 2016
Você está lendo:

Fizemos uma ficha técnica do personagem mais aguardado de Dunkirk, que o nosso mais novo ator Harry Styles irá interpretar. Prontos? Então se preparem para o arsenal quase militar que foi feito com todas as informações coletadas até o momento. Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 4 de setembro de 2016
Você está lendo:

O juiz do The X Factor de 64 anos afirmou que a boy band – que entrou em hiato no início deste ano – não vai se reunir e acredita que Louis Tomlinson, Liam Payne, Harry Styles e Niall Horan estão com “medo” de dizer a verdade porque eles estão desfrutando de toda a publicidade em torno da possível volta tão esperada enquanto todos eles embarcam em projetos solo. Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 4 de setembro de 2016
Você está lendo:

A estrela está atualmente filmando sua estréia nos cinemas de Hollywood com o épico de guerra de Christopher Nolan, “Dunkirk”, e fontes dizem que ele tem falado com a equipe sobre o futuro da One Direction. Continue lendo »

Autor: Thuty
Publicado em 29 de agosto de 2016
Página 2 de 512345